quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Cronologia Histórica do Yôga

Yôga é qualquer metodologia estritamente prática que conduza ao samádhi. Esta é a definição proposta por Mestre DeRose em vários congressos internacionais e que, afortunadamente, tornou-se uma das mais aceitas por todos os tipos de Yôga, os quais consideraram-na a única que abarca as propostas de todos.

Samádhi é o estado de hiperconsciência que só pode ser desenvolvido pelo Yôga. Samádhi está muito além da meditação. Para conquistar esse nível de megalucidez, é necessário operar uma série de metamorfoses na estrutura biológica do praticante. Isso requer tempo e saúde. Então, o próprio Yôga, em suas etapas preliminares, providencia um acréscimo de saúde para que o indivíduo suporte o empuxo evolutivo que ocorrerá durante a jornada; e provê também o tempo necessário, ampliando a expectativa de vida, a fim de que o yôgin consiga, em vida, atingir sua meta.

Os efeitos sobre o corpo, sua flexibilidade, fortalecimento muscular, aumento de vitalidade e administração do stress fazem-se sentir muito rapidamente. Mas para despertar a energia chamada kundaliní, desenvolver as paranormalidades e atingir o samádhi, precisa-se do investimento de muitos anos com dedicação intensiva. Por isso, a maioria dos praticantes de Yôga não se interessa pela meta da coisa em si (kundaliní e samádhi). Em vez disso, satisfaz-se com os fortes e rápidos efeitos sobre o corpo e a saúde.

O Yôga ensina, por exemplo, como respirar melhor, como relaxar, como concentrar-se, como trabalhar músculos, articulações, nervos, glândulas endócrinas, órgãos internos, etc. através de técnicas corporais belíssimos, fortes, porém que respeitam o ritmo biológico do praticante. A prática completa do SwáSthya Yôga compreende oito tipos de técnicas (mudrá, pújá, mantra, pránáyáma, kriya, ásana, yôganidrá, samyama) que vão atuar em oito áreas distintas, promovendo um aperfeiçoamento multilateral.

Sobre o nosso Método: O Método DeRose ensina como respirar melhor, como relaxar, como concentrar-se e cultivar a qualidade de vida. A nossa casa é um espaço de cultura e bem-estar. Um ambiente onde poderá participar de aulas práticas de Yôga, tanto em grupo quanto com personal trainer. Se nos quiser conhecer, visite o nosso site e descubra porque milhares de pessoas em vários países já adoptaram o nosso Método. www.metododerose.eu Sobre o SwáSthya Yôga: SwáSthya(diga Suástia) é o nome da sistematização do Yôga Antigo, Pré-Clássico, o Yôga mais completo do mundo.

A característica principal é sua prática ortodoxa denominada ashtánga sádhana. O SwáSthya Yôga alcançou grande notabilidade, pois representa o reconhecimento de uma estirpe muito mais ancestral do que o Yôga Clássico. O SwáSthya Yôga é a sistematização da linhagem Dakshinacharatantrika-Niríshwarasámkhya Yôga, pré-clássica, pré-ariana, pré-vêdica, proto-histórica: a mais antiga, portanto, a mais autêntica. O facto é que jamais alguém se deteve a estudar o Yôga primitivo do povo drávida, que floresceu em Mohenjo Daro, no vale do Indo, a noroeste da Índia.

Os atuais hindus são descendentes dos invasores arianos que chegaram milhares de anos depois e subjugaram os drávidas. A partir de então, tudo o que se referia à cultura dravidiana foi condenado à exclusão e ao esquecimento. O Yôga sobreviveu graças à sua arianização, o que equivale a dizer, graças à sua deturpação. Mediante a inversão diametral dos valores comportamentais antes vigentes no Yôga, ele se adaptou deixando de ser tântrico para ajustar-se à nova ordem brahmácharya e, assim, tornou-se aceito pelos áryas vitoriosos na grande guerra de invasão. Por isso, quando foi apresentada a primeira codificação mundial do SwáSthya Yôga ocorreu algo como uma revolução na história do Yôga. O mais interessante é que todos os fatos eram dados conhecidos e publicados há tempos em obras conceituadas sobre História, Arqueologia, Antropologia, Yôga, Sámkhya, etc. Se houve algum mérito ele foi apenas o fato de combinar essas informações de tal forma que ninguém pudesse negar suas conclusões. Os que tentam contestá-las, fazem-no mediante um discurso tão visivelmente emocional, e sem apresentar nenhuma documentação legítima, que perdem a credibilidade. Sobre isso, não admita questionamentos gratuitos, nem “blefes”. Exija que o eventual contestador apresente provas, ou seja, um livro contendo os elementos fundamentais da nossa estrutura, conforme estudaremos na próxima questão, e com data de publicação anterior à do Prontuário de SwáSthya Yôga. O livro mais antigo encontrado sobre um Yôga possivelmente aparentado com o nosso chama-se SwáSthya aur Yôgásana e foi publicado na Índia na década de 80, portanto, muitos anos depois do Prontuário de SwáSthya Yôga ter tido várias edições no Brasil e na Europa, anos depois dessa obra ter sido introduzida nos mosteiros e bibliotecas públicas da Índia

2 comentários:

Renata disse...

Oi Rafael..
Eu estou ao lado de DeRose há mais de 20 anos. Se estás com O Mestre DeRose, és meu colega, e eu prezo muito aqueles que posso chamar orgulhosamente de colegas.

Raphael disse...

Obrigado Professora Renata Sena,amiga!Teus frutos florescem hoje nas escolas da Amadora, Chiado, 5 de Outubro, Cascais, Paris, ...q estejas bem noutro plano do universo!

Raphael